Qual a melhor vitamina para queda de cabelo

Perda de cabelo com vitamina? existir! A perda de cabelo é um problema comum que pode ser melhorado com a suplementação de vitaminas e minerais.

Porque esses nutrientes são importantes para o funcionamento normal das células. Quando os nutrientes são insuficientes, podem prejudicar essas atividades.

As vitaminas podem prevenir a queda do cabelo, então você pode fazer a escolha certa. Você sofre deste problema ou conhece alguém? Para saber mais, continue lendo!

Dentre os tipos de queda de cabelo mais comuns na população, dois tipos se destacam: a alopecia androgenética (AAG) e a calvície (TE).
A boa notícia é que os minerais e vitaminas usados ​​para a queda de cabelo estão listados aqui, sobre os quais você aprenderá mais tarde.
Em resumo, devemos primeiro saber como distinguir entre AA e TE:

Alopécia androgênica (AA)

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBN). O AA afeta mulheres com relativa frequência, e o AA é um tipo de queda de cabelo determinado geneticamente.

  Seborreia capilar: descubra mais sobre esse assunto

Embora seja chamado de “andrógeno”, na maioria dos casos, o nível dos hormônios masculinos é normal durante o exame.

Essa doença também é chamada de calvície e começa a se desenvolver durante a puberdade. Nesse período, os hormônios estimulam.

Aparece e provoca a cada ciclo do cabelo, o cabelo fica gradualmente mais fino e o couro cabeludo fica mais aberto.

Eflúvio telógeno (TE)

SBN descreve TE como uma condição em que aumenta a perda de cabelo diária. Isso se reflete principalmente no piso do chuveiro após o banho e pode ser visto na escova mesmo ao pentear o cabelo.

Existem dois tipos de TE agudo e TE crônico. Além desse sintoma, a coceira no couro cabeludo também pode ocorrer no TE, especialmente na região das costas.

A forma aguda difere da forma crônica em termos de problemas de longo prazo, porque ao longo do tempo o cabelo basal do paciente tem mais e menos comprimento.

Minerais e vitaminas para evitar a queda de cabelo

Você tem ou conhece alguém com alopécia androgênica, eflúvio telógeno ou outro tipo de queda? Essas doenças podem abalar – e muito – a autoestima de alguém.

  Detergente no cabelo cacheado? Descubra se é verídico

Já que o cabelo está diretamente relacionado com a beleza. Por isso, separamos abaixo uma lista com minerais e vitaminas para evitar a queda de cabelo:

Enxofre

O enxofre não é bom apenas para o cabelo, também é chamado de “mineral de beleza” e também é bom para a pele e as unhas.

O tratamento especial dos fios é muito importante, pois auxilia na síntese da queratina, que tem a função de proteger e conferir resistência aos fios.

De acordo com classificação de especialistas e autoavaliação do paciente, é recomendado por ser benéfico no tratamento da queda de cabelo.

Ferro e Vitamina C

De acordo com um artigo científico de 2018, os pacientes que sofrem de alopecia androgênica ou exsudato endógeno.

Devem se certificar de que não têm deficiência de ferro. Por sua vez, eles também precisam verificar a ingestão de vitamina C.

O que ajuda a otimizar a absorção de vitamina C. Esses problemas são causados ​​pela falta de ferro no corpo humano (que é a deficiência nutricional mais comum no mundo).

Levando à anemia. Essa doença reduz a hemoglobina produzida pelo corpo humano. Os distúrbios da circulação sanguínea e a queda de cabelo passam a ser um dos sintomas.

  Touca de cetim saiba o por que usar e como fazer

Zinco

A falta de zinco no corpo estimula o aumento de radicais livres, o que leva ao estresse oxidativo.

Por sua vez, isso prejudica a capacidade antioxidante do corpo e pode causar queda de cabelo.

Além disso, a síntese de proteínas também é afetada, o que não favorece a produção de queratina. “O papel das vitaminas e minerais na queda de cabelo: uma revisão”.

Pesquisas mostram que a suplementação de zinco pode ser uma terapia adjuvante para pacientes com baixo teor de minerais em perda de cabelo. O fluxo sanguíneo e as terapias tradicionais não podem ter sucesso.

Vitamina D

Estudos demonstraram que a suplementação de baixos níveis de vitamina D na dieta pode melhorar a alopecia androgenética e os sintomas da vulva em repouso.

Uma das explicações é que a vitamina D regula o crescimento e a diferenciação dos queratinócitos, o que leva à síntese da queratina; além disso.

Estudos apontam que a vitamina D pode estar envolvida no envelhecimento do cabelo, levando ao envelhecimento precoce ou infantil. adulto.

Portanto, a suplementação desse micronutriente também pode ajudar a melhorar o envelhecimento precoce.