Eflúvio Telógeno: o maior responsável por queda de cabelo em mulheres de 50 anos

Nos últimos anos, o eflúvio telógeno vem mostrando ser um dos maiores responsáveis por contribuir para a queda capilar em mulheres de até 50 anos. E, se você está chegando nessa idade, e quer prevenir esses sintomas, não deixe de conferir esse artigo.

Eflúvio telógeno em mulher de 50 anos
O eflúvio telógeno em mulher de 50 anos é muito comum e causa queda capilar. Quer saber como tratar? Confira esse artigo.

É normal que, a partir de determinada idade, o nosso cabelo sofra alterações. Tanto que durante uma certa fase da vida, algumas mulheres resolvem fazer uso do suplemento vitamínico BeautVip Hair, uma vez que ele proporciona cabelos mais resistentes, hidratados e saudáveis.

Porém, existe algumas outras coisas que você precisa saber sobre o eflúvio telógeno, e abordaremos todas os pontos nesse artigo. Portanto, se você quer ficar por dentro de todas as informações, basta continuar lendo esse post.

O que é eflúvio telógeno?

Eflúvio telógeno é uma condição mais comum em mulheres acima de 50 anos, apesar de não estar reservada unicamente a elas. Quem tem esse problema, pode notar uma perca de cabelo constante e, apesar de geralmente ser temporário, é importante ficar atenta.

A queda capilar por eflúvio telógeno está relacionado a fatores emocionais como estresse ou alterações orgânicas, como dietas severas e restritivas ou mesmo após alguma cirurgia ou doenças febris, por exemplo.

Ademais, se você passou por um evento traumático, como perder algum ente querido, você também pode estar suscetível a desenvolver esse problema. Sendo assim, é possível afirmar que um dos motivos que fazem o seu cabelo cair são os fatores emocionais.

Como saber se tenho eflúvio telógeno?

Apenas um profissional capacitado poderá definir se você sofre desse tipo de alopecia, no entanto, há algumas informações que podem lhe ajudar a também identificar esse problema. Para ser considerado eflúvio telógeno, a queda capilar tem que ser superior a 60-80 fios por dia.

Fique atento também as quedas difusas, pois é um dos sintomas. Fora isso, o eflúvio telógeno atinge todas as áreas do couro cabeludo, no entanto, as regiões das têmporas costumam ser afetadas de forma mais precoce.

Fora isso, também é importante ficar atento aos dois tipos de eflúvios existentes; agudo e crônico. Cada um possui causas e tratamentos diferentes, e abaixo nós iremos falar com mais detalhes sobre cada um deles.

Eflúvio telógeno agudo

Geralmente, esse tipo de eflúvio é provado por fatores pontuais e, geralmente, ele é de curta duração. Frequentemente o período médio necessário para que a queda capilar volte aos padrões habituais é de seis meses.

Ademais, a recuperação pode ser espontânea e sem a necessidade de cuidados especiais. Dentre as causas mais comuns, é possível citar:

  •   Dietas de emagrecimento ou má alimentação;
  •   Alterações nutricionais e hormonais pós-parto;
  •   Após cirurgias;
  •   Processos infecciosos como febre amarela, pneumonia, meningite e outros;
  •   Uso de alguns medicamentos;
  •   Durante a introdução, troca ou interrupção no uso de anticoncepcionais;
  •   Quadros de estresse agudo.

Eflúvio telógeno crônico

Caso a queda capilar se prolongue por mais de seis meses, considera-se que você desenvolveu eflúvio telógeno crônico. A principal característica desse tipo de alopecia é queda intensa e alternando os períodos em que ocorre alguma melhora.

Eflúvio telógeno crônico
A principal característica do eflúvio telógeno crônico são as melhoras temporais, mas eventualmente os sintomas voltam a aparecer.

Esse é um problema um pouco mais sério e grave, já que ao longo prazo você pode desenvolver outras características capilares. Com o passar dos seis meses, você pode sentir o seu cabelo menos volumoso, pontas mais finas e fracas. As causas mais comuns do eflúvio telógeno crônico são:

  •   Doenças crônicas;
  •   Deficiências nutricionais crônicas, como de vitaminas, proteínas e minerais;
  •   Uso contínuo de alguns medicamentos;
  •   Distúrbios hormonais;
  •   Dermatites ou outros processos inflamatórios do couro cabeludo.

Como tratar o eflúvio telógeno?

Depende do tipo que você tem. Se você desenvolveu o agudo, como ele é mais brando e não tão agressivo, é comum conseguir se recuperar sem usar nenhum medicamento. Mas, mesmo nesse caso, não deixe de ir até um especialista.

Inclusive, a famosa Isis Valverde desenvolveu eflúvio telógeno após dar a luz ao seu filho. Mas, no caso dela, como obteve sintomas mais fortes, foi necessário um tratamento mais específico e forte. Sendo assim, não negligencie e procure acompanhamento profissional.

Obviamente você pode tentar alguns tratamentos caseiros, como começar a ingerir alguma vitamina que diminua a queda capilar a acelere o crescimento dos fios, mas nada substitui um profissional.